Aeroporto Civil de Guarujá vai começar a operar no fim do primeiro semestre de 2020 (Rogério Soares/AT)

A Prefeitura de Guarujá disponibilizou o edital de licitação da concorrência pública para a concessão da construção, exploração e manutenção do Aeroporto Civil Metropolitano da cidade. O aeródromo será instalado na Base Aérea de Santos.

A íntegra e os anexos do edital estão disponíveis desde a tarde de quarta-feira (10), e podem ser acessados gratuitamente pelo site da prefeitura, na aba “Serviços Online” – “Sistema de Licitações”; ou pessoalmente, na Diretoria de Compras e Licitações (Avenida Santos Dumont, 800, 1º andar, Santo Antônio), ao custo de R$ 25.

Segundo a administração municipal, as visitas técnicas e o recolhimento da Garantia de Proposta deverão ocorrer em até 60 dias. Os envelopes serão recebidos até às 9h30 do dia 10 de setembro, quando ocorrerá a abertura da sessão pública.

O lançamento do edital aconteceu em cerimônia no dia 26 de junho, na Base Aérea de Santos. O prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSB), afirmou que o aeroporto deve estar em funcionamento até o fim do primeiro semestre de 2020.

Conforme as regras do edital, a concessão será por um período de 28 anos. O valor mínimo de outorga será de R$ 1 milhão, divididos em 23 parcelas a serem pagas a partir do sexto ano da concessão.

De acordo com a Secretaria Nacional de Aviação Civil, as obrigações de curto prazo para o futuro concessionário incluem investimentos de R$ 15,6 milhões, no primeiro ano, e outros R$ 37,7 milhões entre o segundo e o nono anos.

Os recursos são para a adaptação do aeroporto militar, que ocorrerá em duas etapas. A inicial terá cinco anos e prevê a instalação de um terminal provisório para absorver os passageiros de Guarujá, bem como a construção de um píer para embarcações, que facilitará o acesso de quem chega pelo Terminal de Passageiros Giusfredo Santini, no Porto do lado santista.

Na segunda fase, será construído o terminal definitivo e demais melhorias. Suman afirmou que a operação do aeródromo não será interrompida para os trabalhos da 2ª fase.

Estudos de viabilidade econômica indicam que o espaço tem capacidade para atingir 1.150.000 passageiros até último ano da concessão. Apenas nos primeiros 12 meses de operação, estima-se uma movimentação de 80 mil pessoas. Levantamento preliminar feito pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) cita que em uma década de operação o espaço deve gerar 16 mil postos de trabalhos direitos e indiretos.

Fonte: A Tribuna

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

onze + sete =

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?