O E190-E2, novo avião da família E-Jet da Embraer que estreia dia 24 de abril deste ano, passou por uma série de testes que comprovaram que a aeronave é a mais eficiente entre aquelas de corredor único, normalmente utilizadas na aviação regional. O avião também provou ser o mais ecológico do segmento, pois obteve os menores índices de ruído e emissões externas. Os resultados surgem em meio ao acirramento do setor, já que a linha C-Series, da Bombardier, que concorre justamente com a família E-Jet da Embraer, foi comprada pela Airbus no ano passado.

O avião vai fazer seu voo inaugural no dia 24 de abril, sendo operado pela companhia norueguesa Widerøe de Bergen para Tromsø, ambas cidades da Noruega. O modelo é o maior avião comercial desenvolvido pela Embraer no Brasil, com 41,5 metros de comprimento, e foi apresentado ao público há quase um ano, em março de 2017.

A aeronave é a segunda geração do E195 e o segundo modelo da nova família E-Jets E2, todos jatos comerciais de um corredor e de até 150 assentos usados por companhias aéreas na aviação regional. A Embraer é líder nesse segmento. O novo modelo tem alcance de 4.537 km e pode alcançar uma velocidade máxima de 870 km/h.

Resultado dos testes

 Na segunda-feira (22), a Embraer divulgou os resultados de teste da aeronave. Com relação ao consumo de combustível, o E190-E2 provou ser 1,3% melhor do que originalmente esperado, o que representa uma melhoria de 17,3% em relação ao E190 de geração atual e quase 10% melhor que seu concorrente direto.

Em relação ao desempenho de decolagem, o E190-E2 também provou ter um desempenho melhor que a especificação original. O alcance da aeronave a partir de aeroportos com altas temperaturas e grande altitudes aumenta 600 milhas náuticas em comparação com aeronaves de geração atual da empresa. Já o alcance a partir de aeroportos com pistas curtas, o alcance aumenta em mais de 1.000 milhas náuticas, permitindo que a aeronave voe até destinos longos sem paradas.

O E190-E2 também se torna, segundo a Embraer, a aeronave com os intervalos de manutenção mais longos no mercado de aviões de corredor único: 10 mil horas de voo para atividades básicas de manutenção. Isso faz com que os custos de manutenção sejam 25% menores que os da atual família de E-Jets.

Com relação à capacitação, os pilotos da nova geração de E-Jet também precisarão de apenas 2,5 dias de treinamento e não precisarão passar por simuladores de voo completo para voar o E190-E2.

Jato já recebeu mais pedidos

A Embraer afirma que o novo jato já recebeu pedidos de compras de companhias como AirCastle (EUA), Tianjin Airlines (China), ICBC Financial Leasing (China), Air Costa (Índia), Kalstar (Indonésia) e Widerøe (Noruega). A norueguesa deve desembolsar quase R$ 3 bilhões pelos modelos brasileiros, que serão configurados em classe única, com 114 assentos cada.

KC-390

Além do E190-E2, é esperado que o avião militar KC-390 da Embraer também estreie neste ano. O KC-390 recebeu sua homologação operacional inicial no fim de 2017 e, ao longo de 2018, deve obter o certificado final concedido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A primeira unidade está prevista para ser entregue à Força Aérea Brasileira (FAB) no segundo semestre do ano.

Fonte: Gazeta do Povo.

Marco Calzolari, Comunicação Sineaa.
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?