A receita do Grupo Fraport, responsável pela administração do Aeroporto Internacional Pinto Martins, cresceu 13,5% em 2017, atingindo 2,93 bilhões de euros. A companhia está à frente do terminal cearense desde julho do ano passado. Apesar de a Capital ainda não impactar significativamente nas contas da empresa, a expectativa é que, a partir deste ano, a receita local tenha crescimento de um dígito no intervalo médio.

Além de Fortaleza, o aumento de um dígito também é esperado para o Aeroporto de Porto Alegre, bem como para os 14 terminais regionais que o grupo administra na Grécia.

“No ano fiscal atual, o negócio internacional da Fraport está focado em avançar com vários projetos de expansão e construção na Grécia e no Brasil, para que possamos aumentar a capacidade e melhorar a experiência de viagem de nossos passageiros. Continuamos também com o desenvolvimento da infraestrutura impulsionada pela demanda no aeroporto de Frankfurt (Alemanha) e estamos construindo o Terminal 3”, afirma o CEO da Fraport AG, Stefan Schulte.

Os aeroportos gregos, que também começaram a ser operados pela Fraport em 2017, tiveram importante contribuição na receita da companhia, de 234,9 milhões de euros. “Conseguimos marcos importantes com a aquisição operacional de 14 aeroportos gregos e a aquisição de duas concessões no Brasil. Com esses desenvolvimentos, estamos garantindo as perspectivas de crescimento do Grupo Fraport no longo prazo, ao mesmo tempo em que diversificamos nosso portfólio com uma base mais ampla e sólida para o futuro”, acrescenta Schulte.

De acordo com o CEO, as decisões estratégicas da Fraport no Aeroporto de Frankfurt, principal terminal da companhia, estão contribuindo com o crescimento sustentável do grupo, o que deverá incrementar mais a receita em 2018. Para este ano, a Fraport espera que a receita atinja até 3,1 bilhões de euros. A perspectiva financeira também inclui os aeroportos de Fortaleza e Porto Alegre. As informações constam no Relatório Anual 2017 da companhia, divulgado ontem.

NESTE ANO

Neste ano, a Fraport espera que a receita atinja até 3,1 bilhões de euros. Isso inclui os aeroportos de Fortaleza e Porto Alegre.

A EMPRESA ALEMÃ

Para os aeroportos de Fortaleza e Porto Alegre, a Fraport espera investir em torno de 700 milhões de euros nos primeiros cinco anos de concessão.

Especificamente em relação a Fortaleza, a empresa destaca que o terminal tem potencial acima da média para crescimento, dada a localização geográfica privilegiada, próxima à América do Norte e Europa.

O Grupo Fraport administra 26 aeroportos em três continentes (Europa, Ásia e América do Sul). Em Fortaleza, a concessionária ficará à frente do terminal até 2047.

As obras físicas de ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto de Fortaleza já deveriam ter começado, mas estão travadas devido a impasse judicial envolvendo o consórcio CPM Novo Fortaleza, que faria os serviços para a Copa do Mundo de 2014, e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

O início das obras depende de autorização da Justiça. A Fraport já se manifestou como terceiro interessado no processo entre a Infraero e o consórcio CPM, solicitando liberação para seguir com as intervenções acordadas no contrato de concessão.

Independentemente do impasse, a companhia afirma que está trabalhando para oferecer serviços de qualidade ao usuário. Além das melhorias imediatas nos sistemas, iluminação, infraestrutura, banheiros, Wi-Fi e sinalização, lembra que, em breve, novos voos internacionais passarão a operar em Fortaleza.

Fonte: O POVO.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

vinte − um =

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?