A aviação doméstica brasileira registrou em agosto um crescimento de 5,51% na demanda por voos em comparação com o mesmo mês de 2016, de acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira, 21, pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). O resultado marca uma inflexão no resultado da variação acumulada dos últimos 12 meses (setembro de 2016 a agosto de 2017), que passou a ser positiva pela primeira vez este ano, chegando a 0,17%.

A entidade, que apresenta a estatística com base no desempenho de suas associadas (Avianca, Azul, Gol e Latam), ainda informa que a oferta por voos domésticos aumentou 3,65% em agosto na mesma base de comparação.

Com a demanda crescendo em um ritmo superior à oferta, a taxa de ocupação dos voos domésticos em abril deste ano cresceu 1,42 ponto porcentual (ponto porcentual) ante o mesmo mês de 2016, chegando a 80,31%.

No total, as companhias aéreas transportaram, juntas, 7,555 milhões de passageiros no segmento doméstico no mês passado, número 3,98% maior que o verificado no mesmo período de 2016.

Em termos de participação de mercado (market share), a Gol se manteve na liderança no segmento doméstico em agosto, com 35,03%, seguida pela Latam, com 34,13%. A Azul ficou em terceiro, com 17,54% de market share, enquanto a Avianca Brasil registrou participação de 13,30%.

Acumulado do ano

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, a demanda doméstica apresentou um crescimento de 1,98% ante o mesmo período de 2016, enquanto a oferta doméstica subiu 0,94% na mesma base de comparação. Com isso, a taxa de ocupação no acumulado deste ano melhorou 0,82 p.p., para 80,82%.

No total, as empresas transportaram 59 milhões de pessoas no segmento doméstico entre janeiro e agosto de 2017, uma alta de 1,19% em relação aos mesmos meses de 2016.

Créditos da Notícia: em.com.br, Dayanne Sousa.
As notícias publicadas na Imprensa e disponibilizadas no site SINEAA refletem as opiniões dos seus respectivos autores e não do Sindicato.  Sendo o clipping apenas uma reprodução das notícias extraídas de fontes diversas, o SINEAA não se responsabiliza pelas informações publicadas ou por danos causados pelo uso dessas informações.
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?