Conhecer e prospectar o potencial de produção de bioquerosene de aviação (BioQAV) no Brasil para o desenvolvimento sustentável do setor. Essa foi a pauta da visita técnica realizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e o Ministério da Infraestrutura (Minfra), nesta sexta-feira (30), na usina de biodiesel da Granol, em Anápolis (GO). O uso do BioQAV ou SAF (tradução em inglês) é apontado como uma alternativa para reduzir as emissões do transporte aéreo e contribuir para a mitigação das mudanças climáticas.

A agenda contou com a presença de técnicos da ANAC; do diretor da Agência, Rogério Benevides; do secretário-executivo do Minfra, Marcelo Sampaio; do diretor de Biocombustíveis de Aviação da Ubrabio e do representante da Gol Linhas Aéreas, Pedro Scorza; do diretor da Granol, Diego Ferrés; do diretor da Ubrabio, Donizete Tokarski, além de representantes do Ministério de Minas e Energia (MME) e pesquisadoras das universidades federais da Paraíba e do Rio Grande do Norte que integram a Rede Brasileira de Bioquerosene e Hidrocarbonetos Renováveis para a Aviação.

A visita é parte da pauta de sustentabilidade e meio ambiente da ANAC, na contribuição da transição energética do setor, na adoção de boas práticas de gestão ambiental e na viabilidade do uso de combustíveis sustentáveis no transporte aéreo. A promoção do desenvolvimento sustentável na aviação é objetivo estratégico da ANAC, em consonância com o CORSIA – o Esquema de Compensação e Redução de Carbono de Aviação Internacional, implementado no âmbito da OACI.

A Agência acredita no potencial do setor de adotar soluções que promovam o desenvolvimento em harmonia com as questões ambientais e climáticas no Brasil e no mundo. “Temos a necessidade, como sociedade, de atuarmos responsavelmente na questão ambiental. Dominamos a tecnologia de produção de biocombustíveis em larga escala e possuímos biomassa disponível. Há um grande potencial para uma política setorial no país que viabilize a produção de bioquerosene de aviação (BioQAV) no Brasil, gerando novos empregos e trazendo benefícios econômicos, ambientais e sociais”, afirma o diretor da ANAC, Rogério Benevides de Carvalho.

Para o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, esta agenda vem ao encontro do esforço que o Ministério vem fazendo em todos os modais. “É um desafio para todos nós. Precisamos trabalhar em conjunto na busca de um combustível sustentável e eficiência energética para o Brasil. Nosso país tem toda condição para isso”, destacou Sampaio.

Fonte: PANROTAS

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

cinco × 5 =

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?