O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, será o primeiro do País a receber um sistema permanente de monitoramento de ruídos. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) prevê que os equipamentos comecem a operar em novembro.

No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, o equipamento deve entrar em funcionamento no fim do ano. “O sistema foi instalado em quatro dos sete pontos de monitoramento previstos e a finalização desse processo deve ocorrer em dezembro”, informou a Infraero, em nota. A estatal afirmou que “não está prevista a instalação do sistema de monitoramento de ruídos em outros aeroportos”.

O monitoramento permanente foi exigência da Prefeitura de São Paulo para emitir a licença de funcionamento do Aeroporto de Congonhas em 2009. Um grupo de trabalho do Ministério Público Federal está monitorando os ruídos provisoriamente neste mês para identificar como fazer o trabalho em definitivo.

Sabendo um pouco mais sobre o Programa Monitoramento de Ruído Aeronáutico.

Um dos principais impactos ambientais provocados pela atividade aeroportuária é o ruído proveniente dos equipamentos alocados no pátio dos aeroportos e das operações das aeronaves.
Buscando reduzir esse impacto, a Infraero vem se empenhando em propor alternativas para monitorar, reduzir e controlar os ruídos, fundamentadas em estudos técnico-científicos, realizados em parceria com Instituições de Pesquisa e empresas especializadas em ruído.

Quatro grandes linhas de atuação devem ser levadas em conta pelos órgãos de aviação no gerenciamento do ruído aeronáutico:

1- Redução do ruído na fonte geradora;
2- Adaptação dos procedimentos de pouso e decolagem para a realidade de cada aeroporto;
3- Restrição da operação de aeronaves em determinados períodos; e
4- Fiscalização da ocupação do solo no entorno do sítio aeroportuário (providência que cabe ao poder público municipal).

A fiscalização da utilização do solo no entorno tem como premissa a articulação com as prefeituras locais para garantir o atendimento ao Plano de Zoneamento de Ruído (PZR), que restringe o uso e a ocupação do solo nas proximidades aeroportuárias.

A Infraero implantou um moderno Sistema de Monitoramento de Ruídos, composto por unidades fixas de monitoramento, instaladas em pontos estratégicos nas áreas circunvizinhas ao Aeroporto Santos-Dumont, na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Da mesma forma, está em fase de implantação sistema semelhante para o Aeroporto de Congonhas, na cidade de São Paulo.

Esse sistema permitirá uma melhor avaliação e gestão dos impactos sonoros na malha urbana, de forma a subsidiar os órgãos da aviação civil na formulação de novas rotas e/ou procedimentos para minimizar ou controlar os ruídos no entorno aeroportuário, assim como auxiliar os municípios na adequação do uso do solo.

Atualmente, são realizados estudos que municiam a Infraero com  significativa quantidade de dados sobre o impacto sonoro em seus aeroportos:

• Estudos de Viabilidade Técnica e Econômica para a substituição dos equipamentos auxiliares para as aeronaves no pátio por Utilidades Fixas, com o objetivo de prover energia e ar condicionado às aeronaves por meio de equipamentos fixos no pátio;
• Realização de campanhas para a redução do nível de ruído em aeroportos críticos;
• Capacitação de funcionários para identificação, monitoramento e redução do nível de ruído aeronáutico.

Fontes: Estadão e Infraero.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dezessete − 1 =

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?